Estaremos a preparar as crianças de hoje para serem cidadãos ativos?

As eleições legislativas em Portugal foram no passado fim-de-semana e a taxa de abstenção foi mais uma vez extremamente elevada. Entre os comentadores, os políticos e as redes sociais chovem comentários e explicações para um suposto desinteresse extremo por parte da população, nomeadamente dos jovens, que segundo se diz, demonstram uma grande desconexão da política.

Como todos os cartazes da cidade nos últimos meses têm estado dedicados à campanha eleitoral, aconteceu que mais do que um jovem me abordou sobre este tema, e como tinha curiosidade sobre os seus pontos de vista, fui-lhes também fazendo algumas perguntas. Neste caso, era um jovem já de fim de 3º ciclo, portanto no 9º ano. É verdade que já é mais velho, mas ainda está longe da idade de poder votar. No entanto parecia-me muito curioso sobre o processo no geral e fez-me imensas perguntas: sobre o processo em si de votar, sobre como se fazia a escolha, sobre o que eram propostas e porque é que haviam tantos partidos. A determinada altura acabei por lhe dizer:

–  Mas não tens de te preocupar, ainda te faltam uns aninhos para poderes decidir, ou achas que já saberias em quem votar?
– Oh Ana, achas? Nem agora, nem na altura! A sério que tenho medo! Toda a gente olha de lado para quem não vai votar, e estão sempre a dizer que a nossa geração não quer saber… Ora, eu quero saber, mas não faço a menor das ideias em quem iria votar, se pudesse! E nem sei como é que vocês conseguem saber…

Reforcei que ainda era muito novo e que, como tal, teria tempo para fazer esse tipo de decisões.

–  E o meu irmão Ana? Ele já tem 17 anos, nas próximas eleições já pode votar… No outro dia perguntei-lhe e disse-me que não sabia em quem votaria… Pior ainda, disse que estava quase a acabar o secundário, está em ciências, e por isso não tem noção nenhuma do que falam no telejornal: não sabe o que é esquerda, direita, o que fazem os ministros e ministérios e como é que quem lá está à frente lá chegou… Diz que provavelmente vai votar naquele que os pais votam sempre, porque confia neles…

Esta sessão e tantas outras conversas que fui tendo com os jovens na última semana funcionaram como alerta. Estaremos nós a preparar as crianças para serem cidadãos ativos que compreendem as suas decisões e o seu impacto na sociedade? Será que os jovens de hoje percebem a importância do seu voto ou a sua escolha de não votar e o peso histórico que essa decisão acarreta?

Temos um currículo cada vez mais especializado e orientamos cada vez mais as crianças para o aprofundamento de conhecimento, mas o que esperamos nós que sejam as crianças quando saem da escola? Estaremos a dar-lhes as ferramentas para mais do que “saberem muito”, saberem antes estar e ser? Será que estamos a ajudar as crianças a desenvolver o seu pensamento próprio, sentido crítico e capacidade de pesquisa dentro dos temas que não dominam? Estaremos a incentivar os jovens a saírem da caixa e a exprimirem a sua individualidade, de forma informada e consciente?

Sabemos que os jovens de hoje são a geração que tem mais conhecimento à sua disposição e que à distância de um dedo podem ver grande parte das suas dúvidas esclarecidas. Mas quererá tal dizer que são a geração mais informada? Está na altura de pensarmos mais nos cidadãos que estamos a formar, para uma sociedade mais consciente das suas escolhas.

 

vote-voting-voting-ballot-box

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s